terça-feira, 4 de junho de 2013

Tirando a poeira e meio tempo.

E não é que lembrei que esse blog existe?
Comecei a descuidar da alimentação, dos exercícios, e acabei abandonando. Por preguiça, por vergonha de dizer que estava fazendo tudo errado de novo e por não querer me comprometer. Eu diria que quis me iludir, durante todos esses meses em que sumi daqui.
Pois vamos aos ocorridos:

Atualmente estou pesando 72-73kg (nunca mais me pesei). Parei com a academia com a desculpa dos estágios e da monografia, e com essas mesmas desculpas eu comi demais e errado. Resultado: subi dos 61kg (jan/2012) para os atuais 70kg e uns trocados. Em janeiro me rematriculei na academia, mas forcei demais na avaliação física e no Corso de Teresina, tendo como resultado um estiramento muscular, além de descobrir um início de hérnia de disco. Pronto, era a desculpa que faltava pra eu passar mais uns meses sem levantar o traseiro da cama. 

Em abril eu me formei em Licenciatura em História, e decidi que só quero voltar às salas de aula como docente após um mestrado. Enquanto isso: malhar cérebro para concursos públicos nas áreas administrativa e de auditoria fiscal. Até passei em um, do Hospital Universitário do Piauí, mas minha colocação foi péssima e duvido que nos próximos 4 anos eles chamem todos os mais de 480 candidatos à minha frente. No momento, estou de olho no TCE-PI, Sefaz-MA/PI (ambos nível superior), Ministério da Fazenda e INSS para nível médio. 

Ah, e agora eu sou titia! Meu sobrinho nasceu no dia 30, virou o xodó da casa e me faz "malhar" trocando fraldas e o embalando pra conter o choro. São 3,3kg que cansam bastante os músculos, mas é algo muito satisfatório. 

Tenho muitos motivos para ter minhas orelhas puxadas, mas os maiores ainda são: não voltei mais ao gastro para fazer o acompanhamento anual nem ao endócrino para fazer o controle da tireoide. Não lembro se já mencionei no blog, mas em 2008 fiz tireoidectomia total para remover um tumor papilífero.

Contado todo o meu mau comportamento neste post, trago nos próximos as resoluções tomadas e iniciadas. Porque embarangar tudo de novo dá tristeza e, se a gente deixar, ela se agarra na gente com força e não solta mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!

1. Seu comentário só será publicado mediante aprovação;
2. Mensagens de spam não serão aceitas;
3. Coloque o link do seu blog (caso tenha) no local adequado (use OpenID);
4. Mensagens ofensivas não serão aceitas;
5. Os comentários dos leitores não expressam a opinião da autora.

Obrigada pela visita!