Lista de Desejos - Livros





(indicação do meu gastro)
A Dieta da Mente

Prepare-se para descobrir a verdade sobre os efeitos do trigo, do açúcar e dos carboidratos sobre o seu cérebro. Em "A Dieta da Mente", David Perlmutter apresenta uma descoberta que há muito tempo tem sido escondida pela literatura médica: os carboidratos podem destruir seu cérebro. Até mesmo aqueles considerados “saudáveis”, como os grãos integrais, podem causar demência, déficit de atenção, epilepsia, ansiedade, enxaquecas, depressão, redução da libido e muito mais. Inovador e oportuno, "A Dieta da Mente" mostra que o destino do seu cérebro não está na sua genética. Está naquilo que você come. Misturando pesquisas de ponta e histórias reais de transformação, David Perlmutter explica por que uma dieta rica em “gorduras boas” é ideal para o corpo e poderá fazê-lo emagrecer sem voltar a engordar. O revolucionário programa de quatro semanas proposto neste livro aponta o caminho para se manter o cérebro saudável, vibrante e aguçado — sem medicamentos. Com recomendações fáceis de seguir, receitas deliciosas e metas semanais, o plano de ação de Perlmutter prova que você pode assumir o controle de seus genes, recuperar o bem-estar e manter a saúde e a vitalidade por toda a vida. Resenha daqui.




A Roupa e a Moda: uma história concisa - James Laver:

"Apresenta de forma breve e compreensiva as principais etapas da evolução - principalmente em termos do desenho e dos materiais - do vestuário no mundo ocidental, desde a invenção da agulha na Pré-História, há cerca de 40 mil anos, até a atual revolução do 'pret-à-porter' e do jeans. Escrita por um dos maiores especialistas ingleses na história das roupas e trazendo 322 ilustrações, este estudo também é uma fascinante exploração dos temas subjacentes ao universo da moda, e das relações deste com as mudanças das sociedades e dos costumes." Tirei daqui.




Uma História do Corpo na Idade Média - Jacques Le Goff:

"Nesse estudo, sexualidade, repressão e liberdade pontuam a trajetória do corpo - um tema esquecido pela maioria dos historiadores -, da abstinência dos padres às delícias do sexo, do desenvolvimento do cristianismo à persistência do paganismo. A obra ajuda a compreender os códigos, os gestos e os comportamentos que o Ocidente medieval legou à modernidade." Tirei daqui



Fumaça Humana - Nicholson Baker:

"Numa prosa extremamente original - encadeada a partir de pequenos blocos narrativos independentes centrados na citação de documentos -, Nicholson Baker revisa mitos e desconstrói verdades elaboradas pela ideologia dos vencedores. Sem jamais relativizar a barbárie nazista - e também o lado patético de lideranças do Terceiro Reich - Baker recupera verdades dolorosas, como o disseminado antissemitismo na Europa e nos Estados Unidos do entre guerras e a tergiversação da Inglaterra e da França. que num primeiro momento preferiram enxergar a Alemanha como o fiel da balança contra o avanço soviético no continente - culminando no desastroso Tratado de Munique, que concedeu os Sudetos à Alemanha nazista e deu vazão aos delírios imperiais de Hitler."  Tirei daqui




A Noiva Libertada - A. B. Yehoshua:

"A.B.Yehoshua,um dos mais conhecidos escritores israelenses, apresenta neste livro a saga de Rivlin, professor orientalista, especializado na história da Argélia, cujo conhecimento dos árabes provinha sempre de fontes indiretas. Convidado para o casamento de uma aluna árabe, tem a chance de observar mais de perto seu objeto de estudo, e de reavivar as feridas abertas pelo fim do casamento de seu filho. A partir da notícia da morte do ex-sogro do filho, que o leva a prestar condolências à família do falecido, Rivlin inicia duas investigações: uma acerca da cultura árabe vizinha, agora porém numa espécie de desajeitada pesquisa de campo, em passeios nos quais é conduzido por um rapaz árabe; e outra acerca do motivo que levou ao desfecho do casamento do filho. Se nos territórios árabes ele é sempre bem recebido, a investigação no âmbito familiar lhe rende aborrecimentos: a mulher e o próprio filho, que mora em Paris, lhe pedem insistentemente que desista, e o filho chega mesmo a ameaçar um rompimento se o pai não parar com os questionamentos. Equilibrando-se entre a necessidade de saber e a de respeitar limites,o professor acaba encontrando uma saída para a estagnação intelectual em que se encontrava. Unindo todas as pontas, é à aluna que o convida para o casamento que ele recorre para analisar textos literários árabes; e é a própria exnora que,indo ao seu encontro,acaba por libertá-lo daquela busca." Tirei daqui



 Mulheres de Cabul - Harriet Logan:

"O livro 'Mulheres de Cabul', da premiada fotógrafa inglesa Harriet Logan, amplia, de maneira mais realista, o universo afegão e apresenta uma reportagem viva, emocionante, quase inacreditável, que supera qualquer ficção. Harriet visitou o Afeganistão para ouvir e fotografar dezenas de mulheres durante o regime do Taleban e depois dele. Durante o regime do Taleban, de setembro de 1996 a outubro de 2001, as mulheres do Afeganistão foram submetidas a absurdas leis repressoras, como não poder trabalhar fora nem freqüentar escolas. Era proibido rir em público, ouvir música, empinar pipas, e fotografias eram consideradas formas de idolatria. Foi nesse mundo de trevas que Harriet Logan mergulhou em busca de histórias e imagens humanas e dolorosas, a convite da London Sunday Times Magazine, em dezembro de 1997, quinze meses depois que o Taleban havia assumido o controle do Afeganistão. Era uma missão perigosa, mas o risco valeu a pena, como se pode confirmar nas páginas de 'Mulheres de Cabul'." Tirei daqui


ATUALIZAÇÃO EM 05/09/11



Israel, uma Terra em conflito - Luís Fernando Girón Blanc

"O conflito quase permanente é a nota essencial que caracteriza a história da terra que hoje compreende Israel, Palestina e suas áreas fronteiriças. Neste livro, os autores mostram como o conflito já existia e continuou presente durante o longo período em que vários povos alternaram-se no protagonismo da história na região. Em sete artigos, é apresentado um acercamento à "história" desta terra, que em um momento central, estará unida ao desenvolvimento de um povo." Tirei daqui






Egito: Terra dos Faraós - Olavo Leonel Ferreira


"Dentre todas as civilizações do mundo antigo, a egípcia foi a que sempre atraiu a atenção dos estudiosos, pela sua importância na História, sua beleza, sua grandeza e seus mistérios.
Este livro é uma apaixonante viagem à terra dos faraós. Suas páginas documentam uma etapa importante da história do homem, a evolução política e econômica, a estrutura social e o progresso cultural do antigo Egito."
Tirei daqui




O Que é Islamismo - Jamil Almansur Haddad

"Serão os mulçumanos um povo fanático, motivados por sua religião a matar quem se oponha a Maomé? Ou será o Ocidente incapaz de entender a mentalidade oriental? Numa tentativa de explicar a cultura islâmica, o autor dá visão das diferenças que provocaram já tantos conflitos internacionais." Tirei daqui



Pobre Nação: as Guerras do Líbano no Século XX - Robert Fisk


"Escrito por um dos mais proeminentes jornalistas britânicos, Pobre nação aborda de maneira épica os conflitos no Líbano. Robert Fisk testemunhou a carnificina em Beirute por 26 anos e relata de maneira devastadora a história dos primeiros homens-bomba e o ataque feito por eles contra os americanos. O livro se concentra na invasão israelense do começo da década de 1980 e suas terríveis conseqüências, incluindo o massacre de milhares de palestinos. Proibida no Líbano, a primeira edição de Pobre nação foi lançada quando o amigo íntimo de Fisk, o jornalista Terry Anderson, ainda era mantido preso pelo Jihad - ele só foi libertado em 1991, com outros reféns ocidentais -, o que acrescentou ao livro de Fisk relatos pessoais a respeito do conflito no Oriente Médio. 
Combinando reportagem de guerra e análise política, Robert Fisk descreve a ferocidade da guerra civil libanesa, as subseqüentes invasões israelenses, a maneira pela qual as milícias libanesas não poupavam ninguém; oficiais da Marinha norte-americana, q encurralados no horror do Líbano, se depararam com um fim terrível; e os israelenses, que, com a invasão de 1982, provocaram eles mesmos crimes de guerra hediondos." Tirei daqui



Oriente Médio - Leandro Karnal

"Este livro ajuda a entender uma questão importante para o mundo contemporâneo; os atritos no Oriente Médio, que remontam aos tempos bíblicos. Focaliza também as riquíssimas culturas orientais, de tradição brilhante e criativa. Questões centrais dos programas de história e geografia são enfocadas, bem como reflexões gerais e amplas, que ajudam a repensar o mundo atual."  Tirei daqui


Seis Dias de Guerra: Junho de 1967 e a Formação do Moderno Oriente Médio - Michael B. Oren

"Seis dias de guerra, de Michael B. Oren, é a mais abrangente história já publicada sobre a Guerra dos Seis Dias, como é chamada em Israel e no Ocidente. A primeira a abordá-la ao mesmo tempo como um confronto militar e um episódio crítico da Guerra Fria global. Oren explora a situação de todos os envolvidos (árabes, israelenses, soviéticos e americanos), descrevendo e analisando o processo de eclosão da guerra e os seus desdobramentos. Conhecida, no mundo árabe, como Guerra de Junho ou, simplesmente, O Revés, jamais um conflito tão curto, imprevisto e indesejado por ambos os lados impôs ao mundo tantas transformações. A Guerra do Yom Kippur, a guerra no Líbano, os acordos de Camp David, a controvérsia em torno de Jerusalém e os assentamentos israelenses na Cisjordânia, a Intifada e a ascensão do terrorismo palestino – tudo isso é resultado daqueles seis dias de intensa luta entre árabes e israelenses, no verão de 1967.

Baseado em documentos confidenciais, em artigos raros em árabe e russo e em entrevistas pessoais exclusivas, Seis dias de guerra reconstitui os contextos regional e internacional que, em fins da década de 1960, conduziram à conflagração árabe-israelense, analisando a situação interna de cada um dos Estados beligerantes e o papel desempenhado pelas personalidades – Moshe Dayan e Gamal Abdul Nasser, Hafez al-Assad e Yitzhak Rabin, Lyndon Johnson e Alexey Kosygin – que precipitaram esse terremoto militar."
Tirei daqui




Morrer por Israel - Flávio Alcaraz Gomes

"Morrer por Israel (Editora Globo, 1967): Primeiro livro de Flávio, é um relato jornalístico motivado pelos dramáticos momentos que viveu nas frentes egípcia e israelense, escrito por sugestão de Erico Veríssimo. Inicialmente com o objetivo de cobrir a Guerra do Vietnã, percebe, no caminho, o prenúncio de outra guerra. Resolve ir ao Egito e a Israel e, inesperadamente, torna-se um dos poucos jornalistas brasileiros presentes na Guerra dos Seis Dias." Tirei daqui





Eu Sou o Livreiro de Cabul - Shah Muhammad Rais

"Quem leu O Livreiro de Cabul, de Åsne Seierstad, precisa conhecer Eu Sou o Livreiro de Cabul, ajuste de contas escrito pelo próprio Livreiro, Shah Muhammad Rais. O primeiro, best-seller mundial, narra o dia-a-dia de uma família afegã num país submetido à guerra e à violência dos costumes. Eu Sou o Livreiro de Cabul é o tão esperado depoimento do protagonista que a jornalista norueguesa descreveu de forma polêmica em seu livro-êxito. Rais se mostra insultado, traído, e lamenta uma interpretação que se equivoca na essência, culpando-o com gravidade, quando, segundo ele, cada ato seu é ditado pela realidade que o circunda e à qual não pode escapar.
Adotando a narrativa como um diálogo permanente com figuras mitológicas da Noruega, os trolls (entidades mágicas onde a verdade é buscada para que a justiça se restabeleça), de alguma forma Shah Muhammad Rais chega à ironia máxima: o que foi denúncia deve ser denunciado; a acusadora virou acusada. O autêntico Livreiro sugere aqui que, se Seierstad não soube enxergar as profundas diferenças entre uma pátria rica e confortável, a Noruega, e um Afeganistão torturado por pressões sociais e religiosas, cometeu, mais que um livro, mais que um escândalo, um crime - um crime sem punição possível, que somente poderá ser abrandado com a mesma arma que ela usou: um livro.
"A que museu eu deveria mandar meu filho de doze anos para elevar seu orgulho e sua auto-estima se o Museu Nacional foi saqueado por contrabandistas que roubaram artefatos ancestrais e antiguidades de até seis mil anos de existência?", escreve o Livreiro. "A que biblioteca eu deveria mandar meu filho de doze anos se todas as bibliotecas foram danificadas e o Talibã queimou todos os livros infantis, muitos deles maravilhosamente ilustrados?"
Eu Sou o Livreiro de Cabul, de Shah Muhammad Rais, faz refletir, causando um profundo impacto acerca da abismal diferença entre os modos de vida ocidental e oriental."
Tirei daqui





Viagem à Palestina - Russel Banks et al

"'Viagem à Palestina' documenta em textos emocionantes a experiência de uma delegação do Parlamento Internacional dos Escritores enviada ao Oriente Médio, em 2002, como resposta ao apelo de um de seus fundadores, o poeta palestino Mahmoud Darwish. O leitor encontrará ainda no fim do volume o texto integral do "Manifesto pela paz na Palestina" lançado pelo Parlamento Internacional dos Escritores no dia 6 de março de 2002." Tirei daqui





O Fim da História e o Último Homem - Francis Fukuyama

"Nesta análise empolgante e profunda, Fukuyama apresenta elementos que sugerem a presençade duas poderosas forças na história humana. A uma chama "a lógica da ciência moderna", a outra "a luta pelo reconhecimento". A primeira impele o homem a preencher o horizonte cada vez mais vasto de desejos através do processo econômico racional; a segunda é, de acordo com Fukuyama (e Hegel), nada menos que o próprio "motor da história"." Tirei daqui


The Clash of Civilizations - Samuel P. Huntington


"One can not easily subscribed to Huntington’s theory of Clash of Civilizations. Simply because after the Cold War, the dominant economic and political nature of globalization coupled with the rapid advances in communication are driving the whole world to be a global village with one civilization and different cultures. While each culture in the world contains different religions, the religions themselves each of them includes different ideologies. It is only a matter of definition, how Huntington defines and interrelates the different terms of civilization, culture, religion and ideology. That is why the late Edward Said in his critic to Huntington’s theory called it a clash of definitions. In fact the term civilization is being sometimes casually and mistakingly used as a synonym for culture but such a mistake can not be accepted from a distinguished scholar like Huntington." Tirei daqui




Anti-semitismo


"
Este livro nasceu do pavor diante do apoio crescente dado ao governo israelense por uma parte da comunidade judaica, de seus representantes oficiais ou auto-proclamados, e por numerosos intelectuais franceses, judeus ou não. Pavor também diante da utilização cada vez mais sistemática, pelos mesmos, do tema do 'crescimento do anti-semitismo' ou da 'nova judeofobia', para desqualificar qualquer crítica da política militar e colonial empreendida desde o final de 2000 pelo governo de Ariel Sharon. Pavor mais generalizado, enfim, diante da via suicida que tomaram a sociedade e os governos israelense e de suas repercussões sobre uma parte da comunidade judaica da França.


Hoje, os militante de esquerda, em particular os que militam por uma paz justa no Oriente Médio, veêm-se confrontados a uma inaceitável lógica da suspeita (a 'aliança vermelho-verde-marrom' demunciada pelo senhor Cukierman) e a uma grosseira chantagem de anti-semitismo. Foi a esta lógica que alguns dentre eles desejaram responder aqui, desmontando os mescanismos dessa chantagem, lembrando seus compromissos e sua condenação dos atos anti-semitas cometidos na França e reafirmando seu direito de criticar Israel." Tirei daqui